O QUE CONSIDERAR EM UM CRONOGRAMA DE OBRA?

O cronograma de obra funciona como uma linha do tempo e contém as atividades que devem ser realizadas, com a data final sendo a entrega do empreendimento.

Deve-se considerar que uma obra não tem somente a parte física, mas contém parte legal com as vistorias dos órgãos fiscalizadores, como prefeitura e corpo de bombeiros.

Esse processo deve ser considerado para cumprir os prazos, pois de nada adianta terminar a obra sem ter resolvido todas essas questões burocráticas.

Listamos abaixo algumas etapas indispensáveis para o cronograma de sua obra:

 

1- Listar Atividades

 

Comece o cronograma de obra listando todas as atividades necessárias para viabilizar a obra, detalhando todas as tarefas e subtarefas.

O ideal é dividir todo o trabalho em pequenas partes com prazos mensuráveis. Embora detalhar todo processo seja trabalhoso, isto garantirá maior controle sobre prazos e tornará mais fácil visualizar as entregas necessárias.

 

2- Definir datas

 

É necessário saber quando começa e quando termina cada atividade. Enquanto no primeiro ponto você estima quando tempo dura cada parte do processo, aqui você deixa claro em qual data ela tem início e fim.

Duas situações que costumam atrasar as datas das obras são chuvas, licenças e documentações exigidas para se dar início à construção. Estas possibilidades também devem estar previstas no cronograma.

Para tudo acontecer corretamente é preciso que o profissional responsável pelo cronograma conheça a ordem que cada etapa acontece e qual depende da finalização de outra para começar.

Por exemplo, as janelas só poderão ser colocadas após as paredes terem sido levantadas.

Além disso, deve-se considerar a questão financeira, visando manter o ritmo da obra alinhada as condições do fluxo de caixa e ainda observar as condições físicas e localização.

 

3- Selecionar os profissionais necessários

 

Com atividades e datas devidamente definidas, é preciso verificar a disponibilidade dos profissionais para os dias e funções específicos.

Um projeto com data mais enxuta exige uma mão de obra diferente de um projeto mais longo. As competências necessárias mudam também conforme o tipo de obra.

Como muitas vezes o profissional está envolvido em outras obras simultâneas é importante planejar em que momento ele deve estar presente em qual projeto.

 

 

4- Executar o planejado

 

Dificilmente uma obra segue até o fim sem nenhuma mudança. Por mais que o planejamento seja bem feito, sempre há os contratempos que influenciam e prejudicam o cenário ideal.

Há variáveis que fogem ao controle, por isso deve-se evitar cronogramas muito justos, já que com qualquer eventualidade não é possível contornar a situação.

Por isso o cronograma deve ser considerado um organismo vivo, que vai sendo atualizado conforme as condições apresentadas durante a execução.

Ele deve ser seguido e serve como norte sempre que decisões estratégicas tem que ser tomadas. Exatamente por isso deve acompanhar e fazer parte da execução do projeto.

 

5- Mensurar resultados

 

Após finalizado o projeto, deve-se considerar todo o aprendizado conquistado durante a obra, para aprimorar os próximos planejamento de obra e seus respectivos cronogramas.

As informações colhidas durante esta etapa servirão de referência para a execução do passo 01, posteriormente.

Aqui é quando é possível mensurar se a produtividade da sua empresa está satisfatória.

 

Um abraço,

Equipe RCE Construtora!

Compartilhe nossos Artigos!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *