Empreitada Global X Empreitada por Mão de Obra: Qual a melhor para a sua empresa?

Escolher quem vai tocar a obra é um fator decisivo e para o bom andamento do projeto da sua empresa.

Avaliadas as posições disponíveis, a maioria das empresas se vê diante de um dilema:

Contratar uma construtora, que arcará com 100% das responsabilidades da obra, mas que tem um custo um pouco maior ou contratar uma empreiteira para realizar a mão de obra e arcar com as responsabilidades administrativas?

Para te ajudar na tomada de decisão, criamos um comparativo, que vai te ajudar a tomar a escolher a melhor opção, dentro da realidade do seu negócio.

 

EMPREITADA POR VALOR GLOBAL (EVG)

Esse é o modelo onde a Construtora Contratada assume todo o escopo da obra, ficando responsável pelas compras, cronogramas, contratações, locações, pagamentos e demais aspectos que envolvem uma obra.

O contratante fica em contato apenas com a construtora, que cuida de todo o restante.

 

EMPREITADA MÃO DE OBRA (EMO)

Nesse modelo, a sua empresa contrata apenas a mão de obra e fica responsável por todo o gerenciamento administrativo e logístico da construção.

O orçamento inicial tende a ficar até 20% mais barato que no outro modelo, mas exige um comprometimento maior da sua equipe, com o risco de haver revisões durante o projeto.

 

Para fins informação, podemos usar apenas as abreviações durante o texto (EVG e EMO).

 

QUEM ASSUME OS RISCOS?

 

Consideramos aqui os riscos administrativos de uma construção.

Desde atrasos na entrega de matéria-prima, faltas na equipe responsável, oscilação de produtividade, enganos na compra dos itens, demora para aprovações e questões burocráticas.

 

EMPREITADA POR VALOR GLOBAL (EVG): Assumidos pela CONTRATADA;

EMPREITADA MÃO DE OBRA (EMO): Assumidos pelo CONTRATANTE;

 

 

Leia Também:   O QUE CONSIDERAR ANTES DE CONTRATAR UMA CONSTRUTORA CORPORATIVA

RISCOS TRABALHISTAS E ACIDENTES DE TRABALHO

 

Além das exigências da lei em relações de trabalho, salários, impostos e obrigações de empregadores e empregados, incluímos aqui riscos ligados ao desenvolvimento das tarefas diárias dos colaboradores envolvidos na construção.

O setor de construção civil possui algumas das maiores taxas de acidente de trabalho do país, e esse risco está sempre presente no canteiro de obras.

Alguns fatores que frequentemente ocasionam os acidentes são:

 

  • Desorganização e desatenção: Um item óbvio, mas que se ignorado oferece muitos riscos. Os problemas acontecem majoritariamente na circulação das pessoas e no armazenamento de equipamentos e materiais;
  • Queda de Materiais: Infelizmente, uma causa comum de acidentes graves. É fundamental orientar os seus colaboradores a usarem os equipamentos de proteção, individual e coletiva.
  • Choques Elétricos: todo trabalho que envolva energia elétrica, deve ser realizado por profissional qualificado, usando todos os equipamentos de segurança necessários;
  • Queda de altura: Mais uma vez é preciso reforçar a importância do uso dos equipamentos de segurança, por parte de toda a equipe envolvida.
  • Manuseio de Ferramentas: Os colaboradores devem ser devidamente treinados para manusear qualquer ferramenta e equipamentos, pois no canteiro de obras

 

 

EMPREITADA POR VALOR GLOBAL (EVG): Riscos trabalhistas inexistentes para o contratante, já que toda relação é direta com a contratada.

EMPREITADA MÃO DE OBRA (EMO): Os riscos são assumidos pelo contratante; Relação de trabalho pode envolver também os seus colaboradores;

 

PREÇO UNITÁRIO

 

EMPREITADA POR VALOR GLOBAL (EVG): São válidos até o término do contrato, independentemente do que ocorra;

EMPREITADA MÃO DE OBRA (EMO): Exige que as partes renegociem preços unitários quando ocorrem dificuldades na execução dos trabalhos;

Leia Também:   OS BENEFÍCIOS DO TRABALHO EM EQUIPE

 

PREÇO FINAL

 

EMPREITADA POR VALOR GLOBAL (EVG): Valor final é, em princípio, FIXO ou com baixa variação, até 20% mais caro.

EMPREITADA MÃO DE OBRA (EMO): É inicialmente mais em conta, até 20%, porém não é fixo;

 

CONSUMO DO MATERIAL

 

EMPREITADA POR VALOR GLOBAL (EVG): Controlado por processos bem estabelecidos;

EMPREITADA MÃO DE OBRA (EMO): Baixo controle e variável conforme requisições feitas pela CONTRATADA;

 

DATA DE CONCLUSÃO DA OBRA

 

EMPREITADA POR VALOR GLOBAL (EVG): Bem definida e com penalidades

contratuais;

EMPREITADA MÃO DE OBRA (EMO): Não incentivada ao cumprimento de prazos,

Pois, normalmente, o contratado recebe por tudo o que fez, mesmo atrasando a entrega.

 

Além dos itens listados há outros fatores importantes e que devem ser avaliados. São eles:

Escopo do projeto, Equipamentos, Alterações do projeto, Equipamentos, Alterações de projeto, Acompanhamento da obra, Responsabilidade Técnica, Aditivos e carga tributária.

 

Para facilitar a visualização de todos eles, criamos um infográfico, com todas as informações.

Clique no link abaixo e você será redirecionado para a página onde poderá fazer baixá-lo.

BAIXAR INFOGRÁFICO

Um abraço!

Equipe RCE Construtora

Compartilhe nossos Artigos!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *