COMO PLANEJAR UMA OBRA

Planejar é uma arte que estamos praticando continuamente, mesmo sem perceber.

É a ação de prever recursos e ações a serem tomadas, de acordo com um cronograma, para realizar uma atividade maior.

Planejar uma obra funciona dessa mesma maneira, pois é a organização de recursos, materiais, pessoas e componentes necessários para construir e entregar uma obra.

Ele deve acontecer de forma que o cada passo seja dado na hora certa, tendo a sua disposição tudo o que for necessário para o serviço ser concluído.

Ao começar uma obra o mínimo que se deve saber é, quanto poderá ser gasto na construção e quanto tempo ela levará, pois caso haja erro nessas informações, existe um grande risco de a obra não ser concluída.

O planejamento pode ser baseado em uma dessas variáveis (ou ambas), o custo do projeto ou cronograma de execução. Confira os passos básicos a serem considerados:

 

  1. Organizar atividades e serviços

 

Essa deve ser a primeira etapa, onde definimos o método construtivo e os itens que farão parte do cronograma da obra, considerando todos os processos envolvidos.

Com isso definido, é hora de separar e estabelecer a sequência de atividades, primeiro em etapas e depois tarefas, cada um com o respectivo responsável.

Para definir o tempo de realização de cada ação é importante conversar com os responsáveis por cada área, para ter uma previsão realista de duração e recursos necessários.

 

  1. Calcular Custos

Após o levantamento de todas as tarefas e de suas respectivas necessidades, é preciso calcular os seus custos unitários.

Nessa etapa, deve-se somar a quantidade necessárias para todos os serviços, e calcular uma estimativa de custos com mão de obra, materiais e equipamentos, durante a obra toda.

Leia Também:   O QUE FAZ O GERENTE DE CONSTRUÇÃO

É importante também manter sempre uma margem de segurança, para evitar que falte algo durante os processos.

 

  1. Cronograma de construção

Este cronograma estima o tempo que as atividades da construção levarão para serem finalizadas. Estão inclusos nele o sequenciamento, baseado nas datas de início e fim das atividades.

Dificilmente um cronograma flui 100% como planejado, por isso, é preciso o maior número de dados em mãos para manter a coerência na tomada de decisões.

 

  1. Cronograma financeiro

O cronograma financeiro deve ser pensado em função do cronograma de construção e da possibilidade financeira da empresa, mantendo o alinhamento com o calendário de receitas e despesas do projeto.

Observando esse cronograma, pode-se estar preparado financeiramente para controlar as entradas de receitas e os pagamentos das despesas da obra, não ficando à mercê do fluxo de caixa.

 

Mantenha sempre em mente que não há uma receita para a geração do planejamento, mas uma visão holística da obra te permitirá ter mais clareza na hora de decidir o futuro.

Ela pode ser dividida de diversas formas, abaixo algumas etapas a serem consideradas:

  • Projetos e Aprovações: Projeto arquitetônico e estrutural, além dos alvarás necessários.
  • Serviços preliminares: São os serviços que antecedem a obra, como: limpeza e nivelamento de terrenos, ligações de água e luz, organização do canteiro de obras, gabarito e marcações.
  • Fundações: Estruturas que sustentarão e darão estabilidade para toda a construção.
  • Estrutura: Colunas, vigas e lajes feitas de concreto armado que ficam acima do solo.
  • Alvenaria: Paredes com tijolos, blocos de concreto, tijolo ecológico, entre outros.
  • Cobertura: Responsável por proteger o edifício do sol e da chuva. Sua estrutura pode ser de madeira ou aço.
  • Hidráulica: Instalações de água quente, fria e esgoto. Elas são executadas no decorrer da obra.
  • Instalação elétrica: Instalações de circuitos elétricos. Compostos por quadros de distribuição, tomadas, iluminação e cabos.
  • Esquadrias: São as portas e janelas.
  • Impermeabilização: Realizada nas fundações, paredes e demais estruturas para evitar infiltrações e umidade.
  • Revestimentos e Acabamentos: Assentamento de pisos, azulejos, porcelanatos e cerâmicas nas paredes e chão.
  • Vidros: Sua instalação se dá em portas, janelas e armários.
  • Pinturas: Aplicação de tintas e texturas nas paredes, tetos e chão das áreas internas e externas.
  • Serviços complementares: Ar-condicionado, gás, telefone, internet, jardinagem, muros, grades, portões e a limpeza final.
Leia Também:   FATORES FUNDAMENTAIS PARA O CRESCIMENTO DE UMA EMPRESA

 

Com todas essas etapas em mente, somados a escolha dos materiais específicos, com tempo e custos de deslocamento, você tem dados suficientes para dar sequência ao planejamento.

E lembre-se que a todo momento, você pode contar com a nossa ajuda.

É só entrar em contato conosco!

Um abraço!

Equipe RCE Construtora

Compartilhe nossos Artigos!


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *